Tree Hill Séries

Tree Hill Séries

Páginas

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Dan Scott (Paul Joahanson)



“Dizem que a coisa mais triste que um homem deve encarar... é o que poderia ter sido. Mas o que é do homem que tem encarado o que era antes? Ou o que nunca será? Ou o que não pode mais ser? Escolher o caminho certo nunca é fácil. É uma decisão que fazemos apenas com o coração nos guiando. Mas ás vezes achamos nosso caminho para algo. Ás vezes lutamos contra o arrependimento e remorso dos nossos erros...nossa malícia e nossos ciúmes. E a vergonha que sentimos por não sermos as pessoas que deveríamos ter sido. E é ai que achamos nosso caminho para algo melhor...ou algo melhor acha o seu caminho para nós.” (Dan Scott) 


Toda série, novela e/ou filme tem um vilão, daqueles que roubam a cena dos mocinhos e se tornam o personagem central da história num piscar de olhos. Em OTH isso não poderia ser diferente. Dan Scott é mais do que um vilão, é apenas um ser humano que erra mais do que acerta. Cometeu muitos erros, é odiado por seus filhos, na verdade, é odiado por quase todos. Mas só conseguiu a sua redenção na última temporada, ao colocar de lado tudo que tinha em prol da vida de seu filho. E isso é algo que só algumas pessoas conseguem fazer. 

Mas antes de falarmos neste momento heroico, devemos relembrar o todo o caminho deste homem que com certeza jamais será esquecido: Dan Scott. Sempre disse que Dan Scott é o Lex Luthor de Tree Hill. E isso é verdade. Não existe pessoa melhor para interpretá-lo do que Paul Johanson. Em nenhum momento em consegui decifrar se ele realmente tinha se modificado ou não. Dan sempre foi uma incógnita, mas é impossível não amá-lo e odiá-lo ao mesmo tempo. Na verdade, eu amo odiá-lo!

A sua jornada na série e em nossas vidas se deu no momento em que ele escolheu Debby e não Karen e decidiu abandonar o próprio filho, Lucas Scott, ao criar Nathan Scott. Como todos sabem, Dan e Karen eram namorados no colegial. O casal invejado por todos: ele o rei do basquete; ela a rainha das torcidas. Quando a mocinha engravidou, ele pulou fora e acabou engravidando Debby e ficando com a loira ricaça.


Desde então, o vilão superprotegeu Nathan e fez de tudo para que seus filhos se odiassem. Mas a sorte parece nunca ser aliado do rapaz, e uma bela jovem acaba entrando em sua vida e modificando os planos do vilão: Haley James. Haley começa a dar aulas para Nathan e os dois acabam se apaixonando. Quando Nathan percebe o mal que Dan o faz, decide sair de casa. Isso traz uma grande reviravolta para Dan, pois perdeu aquele filho que poderia controlar. Além disso, seu casamento com Debby vai de mal a pior e ele se vê sozinho. 


A verdade é que Dan sufocou o próprio filho. Ele é a razão de Nathan querer ser o melhor e sempre competir para vencer. Foi o responsável pelas "drogas" na vida de Nathan e não admite ver seu filho sendo um adolescente normal, afinal ele é um Scott e deve seguir a carreira no basquete. Sim gente, Dan já foi um jogador frustado no esporte e tentou de tudo transportar as suas frustrações para Nathan. Como Debby vivia dizendo, ele estava matando seu filho aos poucos. Ainda bem que Haley apareceu, né gente?


Seu filho bastardo, por assim dizer, foi criado pelo seu irmão mais velho: Keith Scott. E ao contrário de Nathan, sempre sofreu calado por ser tão odiado pelo pai. Tanto isso é verdade que quando entra no time de basquete, o rapaz prefere não usar o sobrenome "Scott" por sentir que isso não contribuí e acrescenta nada em sua vida, além de má sorte. Mas como o destino dos dois estavam traçados a se enfrentarem, na segunda temporada Lucas tenta uma reaproximação maior com o seu pai.

Infelizmente Dan nunca mudou. Continuava o mesmo canalha de sempre. Após flagrar sua ex esposa com seu irmão, Dan sofre um infarte. É neste momento que a vida de Dan começa a ser traçada com a frase "ninguém pode matar Dan Scott", afinal é a partir deste momento que as 7 vidas de Dan Scott começam a correr risco. Ele sobrevive ao infarte, mas promete se vingar de seu próprio irmão e de Debby. E, a partir da 2ª temporada, conhecemos o Dan malvado que nem imaginávamos conhecer. 


A primeira parte do seu plano de vingança começa quando ele contrata uma prostituta para seduzir Keith e acabar com a vida do moço. Logo na primeira parte da temporada, vimos um Dan bonzinho, querendo se reaproximar de Lucas, Keith e Debby. Mas com o tempo a máscara dele vai caindo, ao ponto de vermos ele induzindo Haley a assinar a anulação de casamento da cantora com Nathan e a sua tentativa de destruir todos que estiveram no seu caminho. Há maior prova do que esta para ficar clara que ele é o vilão da série? Se vocês ainda tem dúvidas, esperem, há muita maldade ainda saindo de Dan.


No final da 2ª temporada, Dan Scott é vítima de tentativa de assassinato. Tentam envenená-lo e colocam fogo em sua concessionária. Suspeitos? Um monte. Se fizéssemos uma lista de suspeitos, esta lista teria mil páginas, afinal Dan Scott era odiado por todos. Como um grande vilão, Dan jura, novamente, vingança àquele que tentou tirar Dan Scott de Tree Hill. Mas como todo vilão tem uma ponta para comédia, vimos Dan chantageando o prefeito de Tree Hill e fazendo de tudo para ter uma vida quase perfeita com a sua ex esposa, como um casamento de fachada. E nestes momentos nós rimos muito e esquecemos das maldades de Dan.

Até o dia em que Dan mudou o rumo da série e se tornou o homem mais sombrio dos seriados. Como todos sabem o episódio 3x16 foi o grande divisor do seriado e trouxe um novo rumo para seus personagens. Neste dia Jimmy Edwards invadiu a escola e se matou no corredor do colégio. Lá perdemos também um grande homem, um homem que nós só conhecemos idolatrá-lo após este evento. Sim, estou falando do irmão mais velho de Dan, Keith. Mas não foi a morte em si do personagem que nos fez ver a série de outra maneira, e sim a forma de como ele morreu. Keith foi assassinado pelo próprio irmão, Dan Scott. E por um motivo besta (até conseguirmos entender o porque de tudo isso no 9x11): Dan achava que Keith era o mandante de envenená-lo e botar fogo na sua concessionária. Motivo besta, mas que trouxe uma nova perspectiva para a série. E sim, foi neste momento que comecei ver Dan Scott com outros olhos: comecei a odiá-lo!


Não que eu amasse Keith, na verdade o achava um mala, mas ele não merecia morrer deste jeito. Talvez eu tenha ficado mais emotiva e levado para o lado pessoal porque passei por uma situação parecida com a história de Lucas. Meu tio também fora assassinado e por um motivo besta. Não vou entrar muito em detalhes, mas posso dizer que senti a mesma dor (ou uma dor bem parecida) de Lucas. Então, chorei muito e gritava pensando que isso não tinha acontecido. Mas a verdade seja dita, foi graças a este momento que eu me vicie e queria baixar o seriado antes de passar no canal fechado aberto. Sim, foi graças à Dan Scott que comecei a baixar meus seriados na internet. Entretanto, só pude mesmo baixar, quando comecei a assinar o Speed (minha internet até então era discada).

Desde este incidente, Dan começou a enlouquecer e tentou virar bonzinho. Acredito que ele tinha se arrependido, mas não sabia como compensar tudo o que fez. O fato é que desde o dia em que ele tirou a vida de Keith Scott à queima roupa, Dan tentou ser um homem melhor. Mas o que ele fez assombrou a sua vida. E numa maestria que só Paul conseguiu, nós fãs não sabíamos afirmar 100% de certeza se ele tinha se modificado ou continuava o mesmo canalha de sempre. E como sempre dizem, o nosso passado vem sempre para nos assombrar. No final da 4ª temporada, Dan foi preso pelo assassinato de Keith e ganhou o ódio eterno de seus filhos e de Karen e Debby (a verdadeira responsável pelo incêndio). 



Alguns anos se passaram desde que Dan fora preso, e conhecemos o rapaz que viu o bem dentro do vilão: Jamie Lucas Scott. O filho de Nathan com Haley não viveu na era em que Dan presidia os vilões de Tree Hill, então poderia ser mais fácil para ele ver seu avó como uma pessoa normal. Não sei se isto tudo foi uma ideia brilhante dos roteiristas do seriado ou algo mágico, mas o fato é que a amizade entre Jamie e Dan foi um grande presente para mim. A forma doce e ingênua que Jamie olhava para Dan e conseguiu enxergar o bem nele me fez refletir várias vezes se realmente Dan não tinha mudado, ainda mais quando o próprio vilão o salva da psicopata Nanny Carrie. Que belo retorno Dan Scott!


Com o passar do tempo, vimos Dan tentando a sua redenção. Foi sequestrado pela Nanny Carrie e tenho certeza, que bem lá no fundo, todos vocês não queriam ver Dan sendo assassinado por ela. O destino dele ainda estava sendo traçado no seriado e não dava mais para Lucas e nem Nathan odiá-lo para sempre. Uma hora os dois teriam que conversar com o pai deles, mesmo que esta hora fosse tarde demais. O fato é que ainda precisávamos de Dan no seriado para praticar muitos golpes. Como esquecer do fracassado casamento dele com Rachel? Com o transplante ilegal de coração? Como esquecer que um cachorro comeu o coração que ia ser de Dan Sott? Como esquecer do falso livro escrito por ele? Como esquecer Jamie ensinando seu pai a perdoar Dan? Coisas que só One Tree Hill nos presenteia.


Mesmo diante de tantos erros e falhas, Dan tentou ajudar Nathan e Jamie. Tentou ser um homem melhor e reconquistar o amor de seu filho. Foi graças a ele que Nathan se livrou de René, a impostora que estava tentando arrecadar milhões com uma falsa gravidez. Foi graças ao Dan Scott que Nathan se transformou num grande homem que é hoje, afinal ele não queria seguir os mesmos passos do seu pai. Tudo bem que Haley estava ao seu lado, mas foi Nathan que escolheu mudar seu destino. Dan salvou Jamie, salvou Nathan inúmeras vezes, mas mesmo assim nunca conseguiu a sua redenção. Nem com os fãs, nem com seu próprio filho e é isso o que eu mais gosto nele, este poder de nos enganar por muito tempo e nunca sabermos o que se passa em sua cabeça.


Por ter matado Keith, Dan pagou um preço caro: o afastamento de todos que um dia já estiveram em sua vida. Por isso não pode conviver com Jamie e nem com suas nestas, Sawyer e a caçula Lydia. Um preço que mudou totalmente o seu destino no seriado. Diante desta consequência, Dan decide que estava na hora de voltar para Tree Hill e reconquistar o amor de seu filho Nathan, de se reaproximar de Jamie e conhecer Lydia. Mas como um grande vilão, ele ressurge brilhantemente na última temporada da série após forjar um incêndio no seu café. Isso mesmo, Dan estava de volta e com tudo.


Paul e Joy comandaram esta última temporada e se destacaram no seriado. Incrível como eu só pude perceber a falta que este personagem fazia após ver o 1º episódio da 9ª temporada. O seriado parecia outro, parecia aquele tempo em que One Tree Hill me fazia ficar em choque e esperava por algo mágico acontecer. O fato é que nesta temporada eu torcia para que Dan salvasse Nathan e o encontrasse. Sim, eu torcia para o grande vilão vencer outros bandidos. Isso nunca tinha acontecido antes. Eu simplesmente vibrava com cada ação de Dan, com cada investigação (estilo a CSI), com cada diálogo entre ele e Julian. Eu torcia pelo vilão maior de Tree Hill, aquele mesmo que xinguei há umas temporadas atrás. É como se desta vez ele tivesse se tornado o herói politicamente incorreto que pudesse nos trazer esperanças. Nunca gostei tanto dele como eu gostei nesta temporada.


O dia em que ele enfrentou os bandidos e arriscou a própria vida em prol de Nathan foi o dia em que eu finalmente perdoei Dan Scott. Neste dia Dan não era mais um cara malvado, um cara egoísta, mas sim altruísta. Ele tinha finalmente encontrado a sua redenção. E como mesmo disse Chris Keller, ele tinha muito mais a perder e mesmo assim foi atrás e salvar seu filho, o mesmo que o odiou quase a vida inteira, mas que neste momento precisava de sua ajuda. E como um grande justiceiro, Dan Scott enfrentou a todos e a tudo para salvar Nathan. Levou um tiro no lugar de seu filho e recebeu o meu perdão. Foi neste momento que vi Dan Scott como um herói. 


E depois de muita espera, conseguimos ver Dan morrendo, num dos episódios mais lindos e tristes de One Tree Hill (e o melhor, na minha opinião) nos despedimos do personagem mais complexo e bem escrito do seriado. O grande vilão que roubou as cenas em quanto pode, que arrancou milhares de ódio e depois conseguiu a sua redenção no dia em que colocou a vida de seu filho e da família dele em 1º lugar. Chorei muito quando Dan morreu, mais o que mais me chocou foram as palavras de Nathan "eu não sou a pessoa que tem que te perdoar" e foi justamente neste episódio que descobrimos o motivo que levou Dan Scott a atirar em seu irmão mais velho.  Por mais que possa soar besta, eu consegui entender o que se passava na cabeça dele naquela época. Dan sempre foi aquela pessoa perturbada com suas péssimas escolhas, aquela pessoa que todos nós temos dentro de nós. Para Lydia e Jamie ele será lembrado como aquela pessoa que amava muito seus netos. E isso é o suficiente para eles.


"I was always  jealous of Keith, even when we were kids. I was athletic, popular, all the things that he wasn’t. But still, I was jealous of him. People were drawn to Keith, and I hated him for it. The day I shot Keith, I was in a dark place. I was convinced that he tried to kill me. I’d lost you, divorced your mom. My life was spiraling downwards, and meanwhile, Keith was building a new life with my high-school sweetheart and the child that I  abandoned. Every time I looked at him, I felt like I was punched in the gut. 

Keith wanted to go into the school to save that kid. So I let him go…Hoping he’d get shot. Let him be the hero…As long as he was a dead hero. And then I thought: “Why should he  be the hero when it could be me?”. So I followed him in. Jimmy was crying and Keith was telling him, ”It gets better and that pain in your heart, that voice in your head that tells you there’s no way out…It’s wrong”. So I felt like he was talking to me and in that moment, maybe the most heroic, kindest moment of my big brother’s life I hated him.I hated him more than anyone or anything, because nothing had gotten better. That pain was still in my heart. That voice in my head saying that there’s no way out was right! And he was standing there, lying to me and after Jimmy died, I picked up the gun and I aimed it at Keith and he looked at me and all I could think of was how everything that had gone wrong in my life was his fault and it wasn’t gonna get better until he was gone. Just pull the trigger, and it all ends. So I pulled that trigger and it didn’t end. It got worse. I’m so sorry. I’m so sorry. I’m so sorry. " (Dan Scott)
Após a belíssima e sincera cena de Dan com Nathan na rivercourt, nos despedimos de Dan, ao som de uma linda canção de Coldplay, "Us Against The World ", vendo Dan partindo para uma nova viagem ao lado de Keith no mesmo lugar em que ele atirou no próprio irmão, sendo o "plus one" do seu irmão mais velho. E se Keith já perdoou seu próprio irmão, quem somos nós para não perdoarmos? 


Todos nós esperávamos o dia em que Dan iria se tornar um homem do bem. E mesmo relutando em dizer que ele era melhor como vilão, terei que discordar: o verdadeiro Dan Scott não é vilão nem mocinho, mas sim um pouco dos dois. Ele é um humano, uma pessoa que comete muitos erros e sempre está querendo tirar vantagem nos seus planos diabólicos, mas ele também é aquele pessoa que se arrependeu de muitas coisas que fez e não assume isso. Na verdade, só existe um Dan Scott e ele viveu em Tree Hill. Dan Scott é imortal! E estará para sempre imortalizado em nossos corações. Ele é o Lex Luthor de Tree Hill, é o vilão mor do seriado, mas é também aquela pessoa que amava seus netos muito. Morreu como herói, mas viveu como vilão. Mas acima de tudo, ele era um ser humano que cometeu mais erros e não era perfeito. Sim, nós passamos mais da metade da série o odiando e nem tivemos tempo em conhecê-lo melhor. Isso não significa que ainda é tarde, basta rever novamente o seriado e tentar ver Dan Scott de outra forma. Eu ainda o vejo como imortal!

Fiquem com a música do adeus de Dan Scott, "Us Against The World" do Coldplay.


Nenhum comentário:

Postar um comentário